Ir al contenido

 Colombia Portal oficial de turismo

Encuesta

Você utiliza aplicativos para dispositivos móveis com informação sobre destino quando viaja para Colômbia ou outros países?

Resultados

Estás en:

Laura Gil

Laura Gil

Laura Gil

A vida na Colômbia é empolgante, é provocadora, a gente encontra desafios.

Depois de quinze anos de ter se radicado definitivamente na Colômbia, Laura Gil, experiente em relações internacionais e em direitos humanos, considera que ter ficado foi a melhor decisão que tomou. Garante que deve tudo à Colômbia: seu filho, seu marido, os melhores amigos e uma carreira profissional irretocável que dificilmente teria conseguido em outra parte do mundo.

Tenho um filho de cinco anos que vive orgulhoso de ser colombiano.

Por causa de sua ocupação e a de seu pai, que sempre trabalhou para organismos internacionais, conheceu muitos países. No entanto, nenhum a seduziu tanto a ponto de ficar de vez e criar raízes. Na Colômbia foi assim e vive orgulhosa disso, especialmente por saber que seu filho de cinco anos, nascido em Bogotá, vai crescer num lugar onde a família, os amigos e as tradições têm um sentido muito valioso, muitas vezes sagrado.

Um tio e seu acento rioplatense são os dois únicos vínculos que a mantém unida ao Uruguai, seu país de origem, do qual saiu quando era ainda muito jovem. E ainda que graças a sua profissão tenha querido percorrer o mundo e não se vincular com nenhuma nação em particular, quando conheceu a Colômbia, entendeu que era o lugar para reescrever sua vida. Ela pensa, sente e vive como colombiana; conhece muito do país, de sua problemática, mas também de todas as belezas, bondades e da qualidade da gente que o habita.

Chorei como uma Madalena arrependida no dia que me naturalizei colombiana.

Laura Gil ama tanto a Colômbia que apesar de já ter a dupla nacionalidade, manifesta certa tristeza quando a tratam como estrangeira. Laura ama tanto a Colômbia que nesta entrevista teve medo de cair em palavras costumeiras e não encontrar as que verdadeiramente apresentem a dimensão de seu sentimento e gratidão por um país de que é cidadã há vários anos. A seguir, as respostas de alguém que de verdade sente a Colômbia e que nunca correria o risco de ir embora.

Qual é sua nacionalidade?

LG: Sou uruguaia, mas nacionalizada colombiana.

Faz quanto tempo decidiu vir à Colômbia?

LG: Faz dezesseis anos, em 1993.

Qual foi o motivo de sua viagem?

LG: Queria visitar o país onde nasceu meu esposo, que conheci no Haiti, trabalhando para as Nações Unidas. Estive 15 dias passeando durante as festas de Natal.

Era a primeira vez que vinha a Colômbia?

LG: Sim, a primeira vez foi precisamente em 1993.

Inicialmente, quanto tempo tinha planejado ficar neste país?

LG: Só um par de semanas enquanto passava férias. Vim primeiro conhecer.

Por que decidiu prolongar sua viagem?

LG: Em 1994, decidi radicar-me com meu esposo. Por causa de meu trabalho em direitos humanos e de observadora internacional desde fora, quis trabalhar desde dentro. Foram muitas coisas, meu marido, meus amigos, a possibilidade de continuar minha vida profissional. Lembro que no primeiro ano a adaptação não foi fácil pelo temor de não continuar minha carreira internacional. Mas no segundo disse a meu marido: “Ainda que a gente se separe, eu fico aqui na Colômbia”.

Durante o tempo em que você mora na Colômbia, quais lugares visitou, de quais destes lugares você mais gostou e por quê?

LG: Por meu trabalho e viagens em família conheço quase a metade do país. Gosto de San Andrés, Santa Marta, San Gil e seus arredores, mas de todos os lugares o que mais me encanta, é Cartagena, onde geralmente passo o Natal e onde sempre quero voltar. Cada vez que vou a Cartagena, descubro algo novo, alguma rua que não tinha visto antes…

A que se dedicava antes de vir a Colômbia? A que se dedica agora?

LG: Trabalhava para a ONU e a OEA em relações internacionais e visitando diferentes partes do mundo. Agora, trabalho com um programa do governo canadense em missões de paz da ONU, sou consultora de uma companhia de investidores estadunidenses, escrevo uma coluna para o diário El Tiempo e participo no programa de opinião Hora 20 de Caracol Radio. Procuro ser o mais independente possível para dedicar tempo a minha família, especialmente a meu filho.

Por que crê que os estrangeiros deveriam visitar Colômbia?

LG: Por sua riqueza cultural, porque é um país de tradições, pela classe profissional que é das mais sofisticadas da América Latina, pelo calor humano de sua gente e pelo valor que os colombianos dão à amizade.

Tem planos de regressar a seu país?

LG: Não tenho planos de regressar ao Uruguai. De repente para visitar um tio que tenho lá.

Quais cidades ou destinos colombiano, que ainda não conheça, você gostaria de visitar?

LG: Providência. É um lugar que conheço através de imagens, mas quero ir, especialmente por seu mar. Tenho que conhecer também Cidade Perdida na Serra Nevada de Santa Marta. Estou esperando que meu filho cresça um pouco mais para levá-lo. Além disto, tenho duas viagens pendentes a Mompox e Popayán, para conhecer as celebrações de Semana Santa.

Que planos recomendaria a um estrangeiro que quisesse visitar a Colômbia pela primeira vez?

LG: Tenho em minha casa um quarto de hóspedes que sempre está ocupado por familiares ou amigos que vêm do estrangeiro. Geralmente, os levo a conhecer lugares de Bogotá como a Praça de Bolívar, a Catedral Primaz, o bairro La Candelaria, o Museu de Arte do Banco da República e o Museu do Ouro. Depois, os levo à Catedral de Sal de Zipaquirá. Igualmente, recomendo que visitem destinos como Cartagena, Santa Marta e San Andrés.

Achaque a Colômbia é um destino turístico de classe mundial? Por quê?

LG: Sim, é um destino de classe mundial, porque tem de tudo. Há espaços para quem quer aventura, há cidades modernas para os que gostam do urbano, há uma oferta cultural espetacular como o Festival Ibero-americano de Teatro. Em Bogotá há bom teatro, bons cinemas e bons concertos o tempo todo.

Você conhece a campanha de promoção “Colômbia, o risco é você querer ficar”?

LG: Sim, conheço. De fato, eu mostro os clips promocionais durante minhas aulas no Canadá e as pessoas ficam positivamente surpresas pelo que se mostra ali.

Está de acordo com este slogan?

LG: Acho uma campanha fabulosa que agrada muito no exterior. As pessoas que tiveram a oportunidade de conhecer a Colômbia me dizem: “É verdade, quando a gente vai ao país, já não quer sair de lá”. Meus pais, que moram nos Estados Unidos, vêm todos os anos mas querem ficar por aqui definitivamente.

Você se considera uma estrangeira apaixonada pela Colômbia? Por quê?

LG: Francamente eu me sinto comprometida e apaixonada pela Colômbia, e não me sinto estrangeira.

Contato

PROCOLOMBIA
Calle 28 A Nº 13A-15 Piso 36
E-mail: Correo electrónico info ARROBA colombia PUNTO travel

Ministry of Commerce, Industry and Tourism Fondo de Promoción Turistica PROCOLOMBIA